16
MAI

Apenas a paixão por cozinhar não é capaz de fazer um negócio prosperar. Segundo dados da ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), a cada cem novos empreendimentos de gastronomia, apenas três estabelecimentos sobrevivem após uma década.  É importante considerar este dado ainda em seus primeiros sonhos sobre ter um negócio rentável neste segmento. Em vez de desanimar, entenda neste post como não falhar no planejamento - motivo que causa maior parte destas "quebras". Conversamos com Clênia Dias, contadora e especialista em auditoria e gestão empresarial, a ...

Apenas a paixão por cozinhar não é capaz de fazer um negócio prosperar. Segundo dados da ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), a cada cem novos empreendimentos de gastronomia, apenas três estabelecimentos sobrevivem após uma década. 

É importante considerar este dado ainda em seus primeiros sonhos sobre ter um negócio rentável neste segmento. Em vez de desanimar, entenda neste post como não falhar no planejamento - motivo que causa maior parte destas "quebras". Conversamos com Clênia Dias, contadora e especialista em auditoria e gestão empresarial, a fim de responder a pergunta que dá título à matéria: finalmente, abrir restaurante dá dinheiro.

> Conhecer os clientes do seu restaurante é fundamental para acertar no negócio. Saiba mais

Segundo Clênia, a resposta é: depende. “Vai depender se antes de abrir o negócio o empreendedor estudou quem é o consumidor e quanto ele vai poder pagar (formação de preço), se mapeou a concorrência para não ser mais do mesmo, se sabe marcar presença digital, e se as normas da vigilância sanitária do setor tanto para o ambiente quanto para os funcionários estão sendo observadas”, explica. A contadora lembra ainda que, segundo dados do Sebrae, a média da lucratividade para o ramo de restaurante é de 10% a 12% – informação que deve ser levada em consideração pelos futuros empresários.

Assim como em qualquer outro investimento comercial, é necessário fazer a si mesmo perguntas iniciais sobre cinco fatores que devem ser considerados no seu planejamento de abrir um restaurante:


Investimento inicial
Quanto você precisará investir em locação, aluguel, projeto de interiores, compra de móveis, equipamentos do restaurante, estoque inicial, etc. Clênia Dias lembra que é preciso reservar, como parte deste investimento inicial, os custos das questões burocráticas de registro. “Tais custos variam de acordo com a cidade, mas, em média, o empreendedor deve reservar algo em torno de R$ 1.190,00”, explica.

Capital de giro
Qual o seu capital para garantir o funcionamento inicial do negócio até que ele consiga se sustentar e, após isto, dar lucro?

Funcionários
Quantos funcionários serão necessários para o seu negócio começar? Clênia Dias sugere o uso de automação comercial como uma forma de reduzir as despesas com mão de obra. "Boas soluções de gestão agilizam processos e resolvem rapidamente etapas que seriam desempenhadas por dois ou mais funcionários", explica.

Faturamento médio/mês
Qual deve ser o seu faturamento por mês para cobrir os custos iniciais de investimento no seu negócio e os custos fixos de cada mês? Qual o deve ser o faturamento para que haja lucro? E, por fim, qual será o faturamento para o lucro desejado?

Prazo de retorno
Tendo em vista seus investimentos iniciais na abertura do restaurante, qual você imagina que seja o prazo de retorno financeiro?

> Vai abrir um self-service? Veja como ter SUCESSO neste modelo de serviço!

Abrir o seu próprio negócio é o desejo de muitos brasileiros, mas é preciso conhecer os custos de abertura de uma empresa, os quais vão além dos custos de registro e passam pelos recursos de manutenção da operação e até de alavancagem das operações a médio prazo.

Quais seriam, enfim, as dicas de ouro para quem quer acertar no negócio e ter um restaurante lucrativo? A especialista responde. “Atente para transformar custo fixo em variável, adequar fontes de recursos as suas utilizações e dispor de um profissional da área contábil para orientar e organizar as obrigações da empresa”.

> Quer dicas de como reduzir custos em seu restaurante? Clique aqui!

_
Converse com Clênia Dias:

cleniacdias@gmail.com


Avatar









09
MAI

Aconteceu nesta terça (08) em Recife a primeira edição do Road Show, evento gratuito promovido pela MVarandas em parceria com SEBRAE-PE e Cielo. Voltado a empresários do segmento de alimentação fora do lar, o Road Show trouxe palestras com insights sobre gestão, tecnologia e empreendedorismo para este mercado. Nesta primeira edição contamos com nomes de peso no time de palestrantes. Adalberto Souza, do SEBRAE, falou sobre os programas da instituição para o setor de alimentação. A Cielo estava representada por Alan Neiva, que mostrou como a  ...

Aconteceu nesta terça (08) em Recife a primeira edição do Road Show, evento gratuito promovido pela MVarandas em parceria com SEBRAE-PE e Cielo. Voltado a empresários do segmento de alimentação fora do lar, o Road Show trouxe palestras com insights sobre gestão, tecnologia e empreendedorismo para este mercado.

Nesta primeira edição contamos com nomes de peso no time de palestrantes. Adalberto Souza, do SEBRAE, falou sobre os programas da instituição para o setor de alimentação. A Cielo estava representada por Alan Neiva, que mostrou como a  Cielo pode transformar negócios. Marcus Varandas Filho, CEO da MVarandas, apresentou como a tecnologia poderia transformar a maquineta LIO2 em uma verdadeira máquina de vendas. Por fim, Roberto Montanha arrematou o evento de forma lúdica e motivacional com a palestra "A Magia do Empreendedorismo".

Marcus Varandas Filho pretende levar o Road Show para outras cidades. "Queremos que este formato seja reproduzido em outros cidades, porém com flexibilidade no conteúdo de forma que necessidades locais sejam atendidas. É importante que desafios e mudanças de cada região estejam em pauta a cada nova edição", diz. 
 
No caso desta edição, se fez necessário inserir na pauta as atuais mudanças na legislação do estado de Pernambuco, que agora exige emissão da NFC-e.

O Road Show foi um sucesso e o auditório lotado tinha representantes do Sebrae, Abrasel e do empresariado de alimentação do estado de Pernambuco. Confira as fotos do Road Show e fique atento: em breve sua cidade pode receber esta programação imperdível.






 

Avatar









09
MAI

  É comum o pensamento de que apenas grandes empresas devem fazer uso de automação nas tarefas e processos de rotina. Todavia, os pequenos negócios também sofrem com mau gerenciamento, falhas e atrasos constantes em atividades simples. Outro erro comum é associar automação apenas a softwares, quando estes são metade da estratégia. Neste texto vamos falar de maneira simples sobre as duas faces da automação e sua importância para as microempresas. a) Mapeamento e gestão de processos Antes de partir para a automação eletrônica, é importante mapear os processos e atividades do seu negócio, listar ...

 
É comum o pensamento de que apenas grandes empresas devem fazer uso de automação nas tarefas e processos de rotina. Todavia, os pequenos negócios também sofrem com mau gerenciamento, falhas e atrasos constantes em atividades simples. Outro erro comum é associar automação apenas a softwares, quando estes são metade da estratégia. Neste texto vamos falar de maneira simples sobre as duas faces da automação e sua importância para as microempresas.

a) Mapeamento e gestão de processos
Antes de partir para a automação eletrônica, é importante mapear os processos e atividades do seu negócio, listar os profissionais envolvidos para cada etapa e criar fluxos de rotina. Estabeleça padrões de excelência que devem ser tidos como referência e norte para a sua equipe. Lembre-se que, embora seu negócio seja pequeno (como uma pequena cafeteria ou um food truck, por exemplo), você lida com todas as problemáticas de uma grande empresa: concorrência, satisfação de clientes, variações de mercado, etc.

b) Automação comercial
Agora que você definiu bem os processos do seu negócio, é hora de escolher um sistema que simplifique e traga agilidade às etapas deste processo. É mister que este sistema permita, por exemplo, o registro de pedidos em mesas ou comandas, mais facilidade no pagamento do cliente, geração de relatórios financeiros simples e alinhamento com legislação e obrigações fiscais locais. Apresente seu mapeamento ao consultor de vendas do sistema e certifique-se que a solução vai abranger todas as etapas de forma simples e prática para você e seu time. Outra dica importante é preferir soluções que exijam a menor quantidade possível de equipamentos eletrônicos – sobretudo se seu espaço for pequeno.

Se você tem dúvidas sobre estas questões, recomendamos que entre em contato com especialistas. Nós da MVarandas Tecnologia, que há mais de 20 anos provemos soluções para pequenos e grandes negócios de alimentação fora do lar, estamos à sua disposição. Entre em contato para conhecer os Softwares Menew e o Menew App, solução ideal para pequenos negócios que concentra todas as operações de um restaurante em uma única plataforma, a maquineta LIO 2 da Cielo. Saiba mais clicando aqui.

Avatar









03
MAI

Se você tem ou quer montar um restaurante que oferece o serviço de buffet self-service precisa atentar para alguns detalhes sobre a operação geral do negócio. Segundo consultores do SEBRAE, o público que adere a este serviço de autoatendimento normalmente se preocupa com a proximidade (de casa ou trabalho) e rapidez. De acordo com a matéria, um self-service atende “a um público que não dispõe de muito tempo para suas refeições, tornando-se uma ótima op&c ...

Se você tem ou quer montar um restaurante que oferece o serviço de buffet self-service precisa atentar para alguns detalhes sobre a operação geral do negócio. Segundo consultores do SEBRAE, o público que adere a este serviço de autoatendimento normalmente se preocupa com a proximidade (de casa ou trabalho) e rapidez. De acordo com a matéria, um self-service atende “a um público que não dispõe de muito tempo para suas refeições, tornando-se uma ótima opção para quem precisa almoçar fora de casa com a opção de escolher o que quer consumir, apresentando uma relação direta entre o que foi consumido e o valor que está sendo pago”.

Considerando esta necessidade do público, o restaurante de self-service precisa ser funcional em todos os aspectos: do layout de loja até a gestão de consumo e estoque. Além do controle das mesas (para pedidos feitos aos garçons como bebidas ou sobremesas), é fundamental que o sistema de gestão tenha integração com periféricos (balança, comandas e cartões de consumo) para que você ganhe em agilidade e evite o trabalho de inserir dados e registros manualmente. Para atender um público que quer gastar o menor tempo possível, é primordial que o seu sistema seja bom em agilidade e ofereça respostas e soluções rápidas.

Por fim, o estoque de insumos para a manutenção de um buffet diário de self service precisa ser constantemente monitorado a fim de não haver perdas nem alimentos faltando de última hora. Se possível, automatize também a entrada e saída de insumos de seu estoque para monitorar facilmente e saber quando é hora de fazer compras e o que não pode mais esperar para ser utilizado.

>> Quer saber mais sobre controle de estoque? Clique aqui!

Os softwares Menew da MVarandas Tecnologia atendem as necessidades de todos os tipos de serviço em alimentação fora do lar e dispõem de soluções ideais para quem tem um negócio de self-service. Todos os módulos são integrados entre si e também com os periféricos, adquirentes e iFood. Consulte-nos para saber mais!

 


Avatar















CONHEÇA O MENEW PAY


INSTAGRAM







Todos os direitos reservados - MVarandas - 2018